Search
Close this search box.
Afastamento do trabalho por saúde mental dispara 20%, aponta pesquisa

Afastamento do trabalho por saúde mental dispara 20%, aponta pesquisa

Levantamento da It’sSeg Company aponta que problemas de saúde mental se tornaram a segunda maior causa de afastamentos do trabalho, atrás apenas de lesões corporais

Saúde mental – A quantidade de pessoas afastadas do trabalho por causa de transtornos mentais aumentou 20% em 2023 ante o ano anterior, segundo pesquisa da It’sSeg Company, corretora de benefícios.

Foram cerca de 2 mil casos entre os 473 mil trabalhadores que compuseram o estudo. Desse modo, problemas de saúde mental se tornaram a segunda maior causa de afastamentos do trabalho, atrás apenas de lesões corporais, com pouco menos de 2.300 casos.

LEIA: Inscreva-se no banco de vagas exclusivo para PCDs e fique mais perto do emprego

Doenças do sistema osteomuscular e do tecido conjuntivo — incluindo tendinites e dores musculares em diversas regiões, como a lombar — ocupam a terceira colocação.

“Fatores como a incerteza sobre o futuro e a dificuldade para equilibrar a rotina pessoal e profissional após a pandemia continuam afetando a saúde dos profissionais, provocando aumento no número de afastamentos por transtornos mentais e comportamentais”, diz Marlene Capel, diretora da B2P, consultoria da It’sSeg Company especializada no acompanhamento e gestão de funcionários afastados por razões médicas.

Sindplay disponibiliza cursos sobre o tema

Com o objetivo de contribuir para ambientes de trabalho mais saudáveis e maior satisfação para os profissionais de TI, o Sindplaystreaming de formação e capacitação para profissionais de TI – incluiu em sua plataforma cursos sobre saúde mental e soft skills – habilidades subjetivas.

Os cursos são ministrados por Maria Auxiliadora Camargo Marques, pedagoga, professora universitária, facilitadora e Life Coach Internacional do Método Louise Hay.

Além de questões relacionadas à saúde mental, a pedagoga irá abordar as “soft skills”, conceito muito utilizado no ambiente corporativo que nada mais são do que “habilidades subjetivas”, ou seja, habilidades na relação interpessoal, criatividade, resiliência, pensamento crítico, autoconhecimento, entre outras.

(Com informações de Revista Veja)
(Foto: Reprodução)

Leia mais